ROBSON CASTRO

A trajetória artística de Robson Castro se cruza com dois importantes coletivos de Brasília: o Teatro do Concreto e a Cia. Anti Status Quo. Desde 2013, está à frente da Cia Inexistente, sua plataforma de criação.

Robson Castro é ator, bailarino, performer, educador e produtor. Com outros atores da cidade, fundou a companhia Teatro do Concreto. Nela atuou por 10 anos e contribuiu para projetar a cena teatral brasiliense pelos cantos do país. Com a Anti Status Quo — grande representante da dança contemporânea da cidade, dirigida por Luciana Lara — circulou por festivais no Brasil e na Europa (Slovênia, Sérvia, Suíça).

 

Alguns espetáculos e projetos nos quais Robson Castro esteve presente: Diário do Maldito (Teatro do Concreto); Cidade em Plano, De Carne e Concreto, Sacolas na Cabeça e Camaleões (Anti Status Quo Cia de Dança Contemporânea); Apocalipse de performances, Gênesis de Performances e Êxodos de Performances (projeto Tubo de Ensaios); experimentações artísticas do projeto Zona de Contágio (Cia. Inexistente); e o Salão e Residência Eixo do Fora (Núcleo Fora do Eixo).

A Cia Inexistente

 

Em 2013, criou a Cia. Inexistente, um espaço para dar vazão às próprias criações. Ao mesmo tempo em que carrega uma utopia de criar algo que inexiste ou existe de outras formas, a Inexistente também carrega esse lugar da arte que existe e persiste na invisibilidade e inexistência de políticas públicas que deem condições para uma existência minimamente sustentável. É uma existência inexistente e persistente. 

Produçao de arte